LIGAMOS AGORA!

SE PREFERIR, LIGUE GRÁTIS

0800 772-9000

O que acontece com o esgoto industrial?

Esgoto industrial

Entenda as diferenças e tratamentos adequados para o esgoto industrial.


Nem todo esgoto é igual. E isso, infelizmente, é fácil de perceber quando passamos por algum rio cuja cor da água é completamente diferente, quando há mortandade de peixes nas lagoas ou quando vemos uma quantidade imensa de espuma que não se desfaz nunca em algum córrego. Quando chega a este ponto, no entanto, é porque a situação já é crítica, uma vez que ocorre grande parte de despejo irregular industrial que sequer percebemos até que seja muito tarde. A verdade é que os efluentes industriais necessitam de tratamentos específicos porque a sua composição é muito mais complexa do que a do esgoto caseiro ou comercial, na maioria das vezes carregados de substâncias tóxicas prejudiciais à saúde e ao meio ambiente. Mas como será que isso é feito?

Qual a diferença entre efluente industrial e residencial?


Primeiro é necessário entender porque a água usada na indústria carrega em si tantas substâncias diferentes. Isso acontece porque ela pode ser utilizada para lavar tubulações, máquinas e pisos, para incorporar outros produtos, como parte de vários processos industriais com finalidades bastante variadas e ainda para a higienização de forma geral, inclusive de vasos sanitários. Por isso, o tratamento adequado depende muito da carga poluidora, da presença dos agentes contaminantes e de suas características físicas, químicas e biológicas.

As amostras precisam ser analisadas por especialistas que determinarão o método mais eficiente em relação à carga orgânica e tóxica para que não comprometam o meio ambiente. O tratamento e descarte do esgoto industrial é regido por legislação e fiscalização próprias dos órgãos competentes. O efluente industrial líquido pode ser solúvel ou com partículas sólidas em suspensão, orgânico ou inorgânico, com ou sem coloração, com temperatura elevada ou baixa, com pH, alcalinidade, presença de metais, vírus, bactérias e protozoários também variáveis. Será de acordo com essas características que ele deverá ser enquadrado na legislação ambiental em vigor.

Tratamento deve reduzir ao máximo ou eliminar a carga tóxica


O tratamento deverá ser escolhido de forma a melhor reduzir ou eliminar totalmente sua carga poluente na própria fonte geradora, seja através da modificação dos equipamentos, na reformulação ou planejamento de produtos ou através da substituição de substâncias tóxicas ou matérias primas.

Por outro lado, é necessário que a própria indústria disponha de sistema de acondicionamento ou tratamento dos materiais residuais de acordo com o volume e a qualidade do material gerado, tendo sempre averiguada a possibilidade de reutilização dos resíduos na própria indústria, se pode ser reciclado e comercializado, e ainda se há local apropriado para o seu destino final.

Os processos utilizados podem ser químicos (através da coagulação, oxidação, troca iônica, osmose reversa, precipitação, neutralização ou ultrafiltração); físicos (flotação, sedimentação, regularização/equalização, gradeamento etc); ou biológicos, sendo anaeróbicos ou aeróbicos (filtro percolador, lagoas aeradas, biodiscos – RBC, lodos ativados, reatores sequenciais descontínuos (SBR) etc).

Assim, para a indústria de laticínios, por exemplo, o ideal é o tratamento biológico, que digere a matéria orgânica com o uso de bactérias e microrganismos. Já para os provenientes de processos químicos – como os que possuem óleos, desengraxantes e ácidos, o mais indicado é o tratamento físico-químico. Normalmente a combinação de técnicas, uma após a outra, é um recurso bastante utilizado para potencializar a limpeza. Neste caso, por exemplo, pode ser a oxidação seguida pela precipitação química.

Quando os resíduos são sólidos, no entanto, o método utilizado varia de acordo com o tipo, podendo abranger a compostagem, a incineração e até a reciclagem do material. Como uma única indústria pode gerar todos os tipos de resíduos, ela deve estar preparada para a utilização de várias técnicas no mesmo local.

Impacto Ambiental


O impacto ambiental deve ser levado em conta desde a implantação da indústria, de acordo com as potencialidades dos recursos hídricos, e deve ser acompanhado do uso racional da água até o controle absoluto sobre o lançamento dos efluentes industriais no meio ambiente. É do setor industrial, também e principalmente, a responsabilidade acerca dos impactos e efeitos nocivos do processo produtivo ao meio ambiente. O lançamento indevido de efluentes modifica as características do solo e da água, além de poluir e contaminar o meio físico, podendo, inclusive causar dados irreparáveis à saúde humana e animal.

No entanto, cabe ao consumidor incentivar as indústrias a utilizarem materiais recicláveis e a adotarem as práticas de tratamentos e gerenciamento de seus efluentes evitando comprar produtos de empresas que não adotam a sustentabilidade e não se importam com o meio ambiente. Outra forma de colaborar é denunciando o despejo irregular destes efluentes.

Em 2014 um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FVG) estimou que quase 10 milhões de litros de efluentes industriais por hora eram despejados, de forma irregular, nos rios dos 39 municípios que formam a Região Metropolitana de São Paulo. Sempre que qualquer pessoa observar o descarte de esgoto industrial em rios, lagoas, no mar ou em qualquer fonte hídrica deve comunicar imediatamente às autoridades competentes de seu estado, ou seja, às secretarias estadual e municipal de Meio Ambiente, à companhia de água e saneamento (em, São Paulo, a Sabesp) e aos órgãos de saúde pública.

Limpeza e manutenção são fundamentais


A Desentupir 24h realiza a limpeza de tanques de efluentes, poços de recalque, limpeza de fossas e esgotos industriais de qualquer tamanho, dispondo de equipamentos modernos, rápidos e eficientes, como a sucção a vácuo com bombas potentes que aspiram os detritos para caminhões-tanques. Todo o transporte e descarte de efluentes é realizado exclusivamente em estações de tratamento de acordo com as determinações legais e a classificação de origem (residencial, comercial ou industrial), em consonância com as recomendações e critérios das Sabesp. Peça agora mesmo um orçamento sem compromisso e conte com nossos serviços durante 24 horas, sete dias por semana, inclusive sábados, domingos e feriados.

  Quer saber de todas as novidades e dicas de desentupimento? Cadastre-se em nossa newsletter e fique por dentro de tudo!

Este conteúdo é protegido pela lei de direitos autorais (Lei 9.610 de 19/02/1998). Sua reprodução total ou parcial é proibida nos termo da lei.

Copyright a Desentupir 24h Comércio de Serviços Ltda. © 2015